Desde que abrimos o CrossFit San Francisco, dez anos atrás, Kelly e nos tornamos ávidos CrossFitters, tivemos a oportunidade de visitar muitos Boxes e ministrar treinamentos por todo o país. Em nossa experiência, existem dois tipos de treinadores de CrossFit: os administradores de WODs e os Coaches. Felizmente, nós temos trabalhado com muito mais Coaches, mas ainda existe uma quantidade enorme de “administradores de WOD”. Tenha certeza de que você não é um deles.

Segue o que quero dizer sobre isso. Nos primeiros meses do CrossFit San Francisco, nós não programávamos as aulas antecipadamente. O Coach programado para a aula, literalmente, chegava para a aula, verificava quantos alunos estavam presentes, e então, imediatamente, montava a aula que seria ministrada. Certamente existem altos e baixos para este modelo, ensinou nossos Coaches como programar, pensar por si mesmos, serem criativos, flexíveis, comprometerem-se com os atletas, e aprender o que trabalhar e o que não trabalhar. Nossos Coaches, realmente, tinham de ensinar. Eles não podiam se esconder atrás de uma programação criada para eles por outra pessoa.

Assim como a maioria dos Boxes de CrossFit, nós mudamos, muitos anos atrás, para uma programação unificada, a qual foi um sucesso, durante nosso crescimento enquanto nos tornamos mais sofisticados. Mas, uma das potenciais armadilhas com a pré-programação, é terminar com os temidos robóticos “administradores de WOD”. Este é o Coach que vai para o trabalho e, passivamente, administra o treino prescrito no quadro antecipadamente, engajando-se muito pouco ou nada nas instruções e técnicas,

Eu, por exemplo, visitei um ginásio no último ano, com alguns amigos durante uma viagem. A aula começou com o Coach nos mostrando o aquecimento, prescrito no quadro, o qual, todos finalizamos entre 10 min e 12 min, sem qualquer instrução do Coach. Então, fizemos o círculo novamente. O Coach descreveu o treino, também, prescrito no quadro, perguntou se nós conhecíamos os movimentos e se havíamos entendido o plano, e nos pediu para preparar os equipamentos e pesos. Do momento que ele disse “3-2-1 já” até o momento que ele disse “tempo”, finalizando assim o treino, o único momento em que ouvi a sua voz foi quando nos disse quanto tempo faltava para o fim do WOD. Houve muito pouco, senão, nenhuma instrução, e assim que ele disse “já”, ele parou de se engajar com os alunos. Ele, também, deixou a música tão alta que, de qualquer maneira, nós não conseguiríamos ouvir a sua voz. Ele foi amigável e bem-intencionado, mas, eu deixei a aula me sentindo como se não tivesse aprendido nada de novo. Presenciei muitas aulas como essa em diferentes ginásios.

Em contraste, vou lhe falar como será a sua experiência se você tiver a oportunidade de uma das aulas da tarde com o Carl Paoli, às quartas-feiras, na CrossFit San Francisco. Desde o momento que você entra no ginásio, Carls já está dominando a sala, apresentando-se para os novos alunos e visitantes, e conversando com os atletas que chegaram mais cedo para o aquecimento e mobilidade. Uma vez que a aula começa, ele quase nunca para de falar e ensinar. Durante a aula de 1 hora, ele provavelmente falará/ensinará por 55 minutos. Após os atletas se apresentarem, Carl fala sobre os objetivos das técnicas para a aula e então começa o aquecimento dos movimentos específicos adaptados para atingir aquela meta. Em uma aula recente, ele se concentrou nas paradas de mão (handstands), assim o aquecimento estava cheio de movimentos de ombro. Então, ele ensinou a parada de mão para o grupo, que começou a praticar. Enquanto todos praticavam, ele circulava a sala, e literalmente teve contato com todos os 22 alunos, ensinando-os as técnicas e/ou encorajando-os. Havia música durante a aula, mas em um volume baixo o suficiente para que os atletas conseguissem ouví-lo durante os ensinamentos. Assim que o WOD (treino) começou, ele continuou a engajar-se, guiando tecnicamente os alunos, circulando por toda a sala, e interagindo com os atletas.

Após a aula, eu perguntei ao Carl, o que o motivava. Ele disse que seu objetivo é deixar cada atleta da sua aula com um pequeno presente, seja aprender um novo movimento, gastar algum tempo individualmente com cada um deles, ou apenas tendo certeza de que todos tiveram um excelente treino. O seu objetivo é garantir a cada atleta de que ele deixe o ginásio com o sentimento de que tem mais conhecimento e habilidades do que quando entraram. Isso é ser um COACH.

Julia Starret é a co-fundadora e CEO da CrossFit San Francisco e MobilityWOD.com, advogada, bi-campeã mundial de canoagem extrema, sobrevivente de câncer, vencedora do prêmio Jefferson Award por serviços públicos prestados, e orgulhosa esposa e mãe.

Fonte: http://boxpromag.com/are-you-a-coach-or-a-workout-administrator/

One thought on “Você é um Coach (treinador) ou Administrador de WODs?

  1. Isso é triste. O Crossfit tem crescido, cada vez mais pessoas estão aderindo esse esporte, contudo os boxes começam inchar e fica impossivel para um unico coach acompanhar um WOD de 30 atletas dando atenção para todos. Na minha opinião deveria ter uma cota de coach por atleta.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

five × 3 =